Nota de Repúdio a favor dos policiais civis de Roraima

A diretoria do SINDPOL-PA (Sindicato dos Servidores Públicos da Polícia Civil do Estado Pará) se utiliza da presente nota de repudio para, concretizar nossa solidariedade, bem como para demonstrarmos nossa indignação, com relação à situação terrível que passam os Policiais Civis do Estado de Roraima, pois há vários meses não recebem na integra seus salários, de onde modestamente tiram o sustento de suas famílias. Por outro lado, o governo Estadual de Roraima é useiro e vezeiro em fazer “vista grossa”, e claramente nada faz para solucionar tal situação. Assim sendo, o SINDPOL-PA (Sindicato da Polícia Civil do Estado do Pará), inconformado com a situação quase que famélica que passa nossa irmã, ou seja, a Polícia Civil do Estado de Roraima, vem a público confirmar e declarar nosso total e irrestrito apoio na luta perante essa abissal e amazônica injustiça, pois, sendo o salário o meio de sobrevivência do trabalhador empregado, deve estar ao abrigo de todas as garantias aos direitos fundamentais da pessoa humana. Sabedora disso a nossa Constituição Federal elevou o salário ao nível de direito fundamental, e estabeleceu garantias para sua proteção. Pena é que, estamos longe de um estado de direito com prevalência da Constituição Federal, sendo que as normas infraconstitucionais não tem conhecido a importância dos direitos fundamentais e, não raro subtraem do salário e do empregado essas garantias constitucionais. Por isso, esses direitos fundamentais precisam ser revisados, relidos e reinterpretados para que prevaleça a garantia do respeito à dignidade da pessoa humana, Como é propagado por BUENO MAGNO (1993; v. II, p. 279): A proteção ao salário constitui o desdobramento do princípio da tutela inerente ao direito do trabalho, consubstanciando-se as regras sistematizadas de defesa dos salários em face do empregador, dos credores do empregado, dos credores do empregador e tendo em vista os interesses dos familiares do empregado, justificando-se que isso se dá em virtude do caráter alimentar do salário. O interesse social que fala mais alto e, em nome deste, é que se busca proteger o salário do empregado. Tudo aparece como na legislação do meio ambiente, em que se fala muito em proteger rios e floresta, mas tudo é secundário, pois o interesse maior é proteger o meio ambiente, para que assim se proteja a sociedade. A preocupação principal não são os rios e ás floresta, mas a vida do ser humano, ou seja, a garantia de vida para a sociedade. Na mesma diretriz se dá a preocupação com a proteção do salário, para a garantia e sobrevivência do empregado e, com isso, garantir a força de trabalho que tanto interessa a sociedade. Dessa forma, desde já, nos colocamos a inteira disposição dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Roraima e repudiamos qualquer atentado contra a dignidade de todos os Servidores da Polícia Civil, em todo o território brasileiro. Uma vez, que estamos na linha de frente na defesa da integridade física e material do cidadão brasileiro nos Estado da federação. Expondo a perigo as nossas próprias vidas. Por isso, somos mais que merecedores do respeito dos governos municipais, estaduais e federal, bem como dos poderes constituído, até por que, segundo a Constituição brasileira no seu artigo 7º, aduz que nós é deferido o seguinte: Art. 7º São direito dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem á melhoria de sua condição social; .(...). X - Proteção do salario na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa.

Notícias em Destaque
Notícias Recentes 

Nosso Endereço

Sindicato dos Servidores Públicos da Polícia Civil do Estado do Pará

Trav.: Pirajá, nº 2008 - CEP.: 66095-632-Bairro: Marco

Entre: Almirante Barroso e João Paulo II

 

Horário: 8h às 12h das 14h às 18h - Segunda a sexta


Contatos: (91) 2121-0597 2121-0604

E-mail: hti.sindpol.pa@gmail.com

© 2016 Sindpol - Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado do Pará.